segunda-feira, 24 de junho de 2013

Movimento das Massas ou da Classe Média?

Fabio Campana
Ainda falando sobre as manifestações que ocorrem pelo Brasil e sem saber quais serão os próximos capítulos desse enredo, gostaria de questionar aqui sobre a quem pertence esse movimento.
No início o movimento parecia ser uma demanda da esquerda. O MPL - ou passe livre, tem todas as característica da esquerda, a não ser que seus maiores expoentes são de classe média.
Calma aí, uma manifestação de esquerda, formada por integrantes da direita?
Não, eles não são de direita, mas até pela sua formação, muitas de suas ideias são conservadoras, haja vista ter atraído com tanta facilidade a adesão de alas conservadoras da burguesia paulistana em primeira instância.
Ou você acha que faixas com o pedido da redução da maioridade penal é um anseio da esquerda?
Outra, o MPL veio para as ruas com o único propósito de conseguir a revogação do aumento das tarifas do transporte público, e chamar a atenção da classe política para esse assunto.
O que o grupo não imaginou, é que outras demandas da sociedade viriam a tona, principalmente o assunto "corrupção", que a princípio não fazia parte da idia central dos protestos.
Daí dizer em diante, o caldo desandou e vieram uma enxurrada de outras demandas da classe média que desde a fundação do plano real tem sentido na pele todo o peso das decisões unilaterais dos governos.
o que podemos notar nisso tudo é que o movimento não é esquerdista nem das massas, mesmo porque é muito difícil agregar as classes menos favorecidas em torno de um ideal, tendo em vista a despolitização dessa gente.
Outra, não me vem na memória nenhuma revolução ou transformação que tenha vindo da base da pirâmide, sempre que houve alguma transformação ela partiu das classes mais elevadas, mesmo que essa tenha usado as massas como instrumento de manobra.
Precisamos analisar bem todo o contexto em que estamos vivendo para termos uma opinião formada a respeito desse assunto.
Chega de sermos manipulados.