domingo, 1 de agosto de 2010

Como se mede uma vida?

Quando penso em escrever sempre tenho uma idéia pré-concebida, mas hoje não. Há alguns dias não escrevia um texto de minha própria autoria, então, dando uma olhada no Blog percebi que tem muitos textos maravilhosos de escritores renomados, que escrevem divinamente, e entre eles alguns meus.Lendo alguns textos e os camentários aqui no blog comecei a refletir sobre a questão: Como se mede uma vida?   Será que uma vida é medida pelo número de anos que ela dura, ou pela intensidade que ela é vivida?
Não sei a resposta para essa dúvida, então estou aqui dividindo com vocês o meu dilema.
Hoje em dia as coisas acontecem com uma velocidade e uma intensidade tão alarmante que as vezes não temos tempo de parar pra analisar o que estamos fazendo da nossa existência e nem para onde estamos caminhando. Pessoas passam pela nossa vida e deixam marcas em nossos corações, mas não percebemos que a cada minuto que passa não somos mais os mesmos, nem os outros o são, o universo e tudo que nele há está sempre mudando. Tem uma frase que espelha muito bem isso: "Ninguém se banha duas vezes num mesmo rio" ( Heráclito de Éfeso), pois todas as vezes que você se banha em um rio de mesmo nome, você mudou e as águas também mudaram. Essa Frase aparentemente simples encerra em si uma verdade absoluta, as aguas estão sempre mudando e a gente esta numa constante transformação, aquela amizade que parecia ser eterna, já não é mais a mesma, aquele amor que parecia indestrutível agora esta mais para ódio, e aquele sonho em ser piloto de aeronave agora o transformou num burocrático financista, ou funcionário público.
Basta você dar uma regredida ai em alguns meses atrás que irá notar que muitas daquelas pessoas que você passava horas conversando na internet ou mesmo ao telefone em alguns casos, hoje são apenas uma vaga lembrança, ou nem isso em algumas situações. Outro dia conversando com uma pessoa, ela me disse, " a gente quer dar atenção ao maior número possível de pessoas, então acabamos esquecendo aqueles conhecidos mais antigos". 
Ontem estava com uma amiga que acabou de voltar de uma viagem de férias, então estávamos relembrando de um tempo em que nos falávamos todos os dias, e sempre nos víamos, uma amizade muito intensa, vivida ao extremo, e quando conversávamos sobre isso percebemos que fazia quatro meses que não nos encontrávamos. 
Chego a conclusão de que não adianta a gente querer conquistar o mundo se não estivermos conquistando todos os dias as pessoas que estão ao nosso lado, essas pessoas são a nossa base, o nosso alicerce, são elas que nos abraçam, que os apertam as mãos. São eles que nos tiram de casa num dia monótono para ir a um barzinho, ao cinema ou mesmo, para irmos em suas casas ver fotos antigas a dar gargalhadas dos momentos de descontração. A vida para mim é medida pelos sorrisos e pelas lágrimas que damos no decorrer dela, seja ela de cem anos ou de 15. A vida não é medida pelo que se conquista materialmente, ela é medida pelo que se sente. Uma vida só é completa quando é vivida e compartilhada com outras vidas, sejam duas, três ou um milhão. 
Vou deixar uma música pra mostrar nas palavras de Gonzaguinha um pouco do que é a vida: Viver e Não Ter a Vergonha de Ser Feliz http://www.youtube.com/watch?v=vjqyHkzMgBQ