quarta-feira, 8 de junho de 2011

UBUNTU


A jornalista e filósofa Lia Diskin, no Festival Mundial da Paz, em Floripa (2006), nos presenteou com um caso de uma tribo na África chamada Ubuntu.
Ela  contou que um antropólogo estava estudando os usos e costumes da tribo e, quando  terminou seu trabalho, teve que esperar pelo transporte que o levaria até o aeroporto de volta pra casa. Sobrava muito tempo, mas ele não queria   catequizar
os membros da tribo; então, propôs uma brincadeira pras crianças, que achou  ser inofensiva.

Comprou uma porção de doces e guloseimas na cidade, botou tudo num cesto bem bonito com laço de fita e tudo e colocou debaixo de uma árvore. Aí ele  chamou as crianças e combinou que quando ele dissesse "já!", elas deveriam sair  correndo
até o cesto, e a que chegasse primeiro ganharia todos os doces que estavam   lá dentro. 

As crianças se posicionaram na linha demarcatória que ele desenhou no chão e esperaram pelo sinal combinado. Quando ele disse "Já!", instantaneamente todas   as crianças se deram as mãos e saíram correndo em direção à árvore com o cesto.  Chegando lá, começaram a distribuir os doces entre si e a comerem felizes.
 
O antropólogo foi ao encontro delas e perguntou porque elas tinham ido todas juntas se uma só poderia ficar com tudo que havia no cesto e, assim, ganhar muito mais doces. 

Elas simplesmente responderam: "Ubuntu, tio. Como uma de nós  poderia ficar feliz se todas as outras estivessem tristes?"
  
Ele ficou desconcertado! Meses e meses trabalhando nisso, estudando a tribo, e ainda  não havia compreendido, de verdade,essência daquele povo. Ou jamais teria proposto uma competição, certo?

Ubuntu significa: "Sou quem sou, porque somos todos nós!" 

Atente para o detalhe: porque SOMOS, não porque temos...
UBUNTU
 
Existe uma palavra na língua portuguesa difícil de ser traduzida para outras línguas: SAUDADE.

Em vários países africanos, tem também uma bem maior em significado do que qualquer tradução: UBUNTU

É uma filosofia Africana que existe em vários países da África, que foca nas alianças e relacionamentos das pessoas umas com as outras.
A palavra vem das línguas dos povos Banto, na África do Sul nas línguas Zulu e Xhosa.
Ubuntu é tido como um conceito tradicional africano.
 
Uma tentativa de tradução para a Língua Portuguesa poderia ser "humanidade para com os outros". Uma outra tradução poderia ser "a crença no compartilhamento que conecta toda a humanidade".

O prêmio Nobel da Paz, o bispo sul-africano Desmond Tutu, uma vez explicou:
 
“Ubuntu é a essência do ser humano.
Você não pode viver isoladamente, você não pode ser humano se é só.
Uma pessoa com ubuntu está aberta e disponível aos outros, não-preocupada em julgar os outros como bons ou maus, e tem consciência de que faz parte de algo maior e que é tão diminuída quanto seus semelhantes que são diminuídos ou humilhados, torturados ou oprimidos.”
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
 
Para outro Nobel da Paz, o ex-presidente Nelson Mandela:
 
“Para ser feliz é preciso viver em coletividade, em harmonia com quem está a sua volta. Ou seja, tudo de bom que você pode sentir ou desejar a uma pessoa, os africanos resumiram em apenas seis letras."
 
 

Ubuntu  é visto como um dos princípios fundamentais da nova república da África do Sul
(no Zimbabue por exemplo).
 
Ubuntu tem sido usado como forma de resistência à opressão existente no país, e está intimamente ligado à ideia de uma Renascença Africana.
 
Na esfera política, o conceito do Ubuntu é utilizado para enfatizar a necessidade da união e do consenso nas tomadas de decisão, bem como na ética humanitária envolvida nessas decisões.

“O conceito do Ubuntu define um indivíduo em termos de seus relacionamentos com os outros, e enfatiza a importância do Ubuntu como um conceito religioso, assentando na máxima Zulu:
Umuntu ngumuntu ngabantu
(uma pessoa é uma pessoa através de outras pessoas),
 
que aparentemente não tem conotação religiosa na sociedade ocidental.
No contexto africano, isso sugere que o indivíduo se caracteriza pela humanidade com seus semelhantes e através da veneração aos seus ancestrais.
 
Assim, aqueles que compartilham do princípio do Ubuntu no decorrer de suas vidas continuarão em união com os vivos após a sua morte”