segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Quando a Paixao se Transforma em Violencia #PazNasTorcidas



‘’No dia 25 de Outubro de 2009, entre noticias que precedem as partidas de futebol, fomos surpreendidos por mais um fato que estarreceu a sociedade paranaense: o atropelamento do estudante de direito da Faculdade de Curitiba - João Henrique Mendes Xavier Viana, 21 anos, na saída de um estádio na Cidade de Curitiba. .... Foi uma tragédia decorrente de briga entre torcidas." (Andréa Destefani)                                                                                                                              



Quando a Andrea me pediu para que escrevesse um texto sobre paz nas torcidas fiquei tentando encontrar algo que se encaixasse ao tema, apesar de ser torcedor do São Paulo Futebol Clube, não sou membro de nenhuma torcida organizada e nem sou muito assíduo a estádios. Quando vou a algum jogo procuro ficar nas arquibancadas onde geralmente ficam as famílias, numeradas ou camarotes. Não estou dizendo que todas as organizadas são formadas por pessoas violentas, mas muitas pessoas mal intencionadas as usam para cometer delitos. Não estou falando por falar, pois tenho conhecidos em algumas organizadas, tanto do São Paulo, como de outros clubes.                                             Tenho um amigo de uma uniformizada do Corinthians que se envolveu numa briga com torcedores do São Paulo e acabou tomando um tiro, por sorte não morreu. Um conhecido membro de uma organizada do Tricolor foi pego sozinho por uniformizados de outro clube e apanhou muito, não e nenhum santo, mas foi um ato de covardia o que fizeram com ele.                                                     Esses relatos mostram que maus elementos estão infiltrados em todas as torcidas. Quem já teve a horrível experiência de pegar um ônibus ou metro cheio de torcedores sabe do que estou falando, os caras vão batendo nos vidros teto e laterais do meio de transporte e entoando musicas que incitam a violência, não respeitam ninguém, idosos, crianças... Enfim, não respeitam.                                          O ser humano tem um comportamento estranho, às vezes quando o sujeito esta só, e um pacato cidadão, mas se estiver com uma galera pode se transformar num monstro, e o chamado "espirito de manada", um ótimo exemplo foi o que aconteceu numa faculdade paulistana ha pouco tempo atrás, a protagonista que todos conhecem, ficou famoso, mas o espetáculo foi ridículo.                          Acredito que a violência nos estádios esta totalmente ligada à violência normal do dia-a-dia, ela se torna maior por estar reunindo num mesmo ambiente varias pequenas formas de violência: ali esta o cara que e agressivo com a namorada, com a esposa, com os filhos, o cara que não respeita ninguém no transito e ate bandidos formados; uma mistura que só pode dar mal.                                         Alguns jogadores com todo o acompanhamento e preparo que recebem também incita a violência nas torcidas, seja com declarações ou atitudes.                                                                                        Já vi muitos indivíduos violentos indo pra igreja, a diferença e que lá ele vai encontrar um ambiente de paz, onde se prega o amor ao próximo, mas se este mesmo cara for para um lugar onde se prega a arrogância, a disputa entre adversários o resultado pode ser catastrófico.                                             A Paz nas Torcidas ou em qualquer ambiente começa dentro de cada um de nos, somos todos responsáveis pela paz, ela tem que começar dentro da gente, depois passa para nossas famílias, nossos bairros e por ai em diante.                                                                                                                                 A minha querida amiga @AndreaDestefani sugeriu a campanha Paz Nas Torcidas, e eu vou além da ótima sugestão e sugiro: Paz em cada Coração.