sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Águas Paulistanas (Blog Action Day 2010)

A cidade de São Paulo cresceu assustadoramente nas ultimas décadas e em muitas áreas foi omissa, especialmente quando se trata dos seus rios. Um de seus principais rios, o Tietê foi um dos que mais sofreram com isso, como podemos ver na imagem acima, este que já foi um rio totalmente navegável e onde os clubes Espéria e Regatas do Tietê faziam suas competições e treinos. Hoje o Rio é famoso em pelo seu mau cheiro e pelas suas águas mortas.
Nesta foto de 1906 vemos o Rio Tamandatuatei outro que sofreu muito com a ação humana ao longo do crescimento da metrópole paulistana. Em 1967 esse rio recebeu a estrada de ferro Santos-Jundiaí em torno da qual se fixaram muitas indústrias dando início ao processo de poluição química de suas águas.
Como este post tenta mostrar um pouco das águas que escorrem ou escorreram pela grande São Paulo fica aqui alguns de seus rios, tendo em vista que várias áreas alagadas foram drenadas para construção de ruas, avenidas e moradias, sem contar os inúmeros igarapés que desapareceram:


Números e curiosidades
Tietê  Tem 1.136 km de extensão, 125 km dentro da Grande São Paulo.
Contrariando o curso da maioria dos rios, nasce próximo ao oceano, a 22 km da Serra do Mar, e corre em direção ao interior do Estado até encontrar o Rio Paraná, da divisa com o Mato Grosso do Sul.
Passa por 39 cidades; destas, 34 contribuem para a sua poluição.
Todos os dias, mais de um bilhão de litros de esgoto sem tratamento são despejados em seu leito.




Pinheiros Tem 26 km de extensão.
Nasce na represa Billings e deságua no rio Tietê, no ponto conhecido como Cebolão.
Apenas 20% do que corre no leito é água; o resto é esgoto.
30% da sujeira que vai parar no rio vem do lixo que as pessoas jogam nas ruas.


Tamanduateí  Nasce em Mauá, passa pelas cidades de Santo André e São Caetano do Sul, atravessa o centro de São Paulo e deságua no Bom Retiro, em frente ao Palácio das Convenções do Anhembi.
Tem ao todo 35 km de extensão.
Apenas a cidade de São Caetano trata integralmente o esgoto que despeja no leito.
Mauá é a que apresenta o menor índice: apenas 4% de esgoto tratado.
Possui 43 afluentes que deram origem a bairros como Ipiranga, Mooca e Pedra Branca.
Atualmente a maioria desses córregos encontra-se total ou parcialmente canalizada e transformada em coletores de esgoto.



Anhangabaú  Nasce entre a Vila Mariana e o Paraíso, passa sob o Boulevard Anahangabaú, no metrô São Bento, e deságua próximo ao Mercado Municipal, no centro.
Em seu curso original, passava sob a rua 25 de Março, mas foi retificado.
Possui quatro afluentes, que passam por locais como as avenidas Paulista, 9 de Julho e 23 de Maio, em bairros como a Liberdade e a Bela Vista.
Todos esses córregos foram canalizados e transformados em galerias. (fonte UOL Notícias)






Falar sobre a poluição dos nossos rios é assunto corriqueiro, e jogar a culpa nas indústrias e nos governos, é no mínimo se abster de culpa, quando jogamos pontas de cigarros nas ruas, óleo na pia, ou qualquer resíduo tóxico nas ruas, isso vai parar nos rios, agravando ainda mais a situação das nossas águas. Sem falar na quantidade de lixo sólido que é jogado sem nenhum controle por ai e vai parar dentro dos nossos rios.
Neste dia de Blog Action Day cujo tema deste ano é Água, procurei com este texto informar um pouco sobre a situação da nossa bacia hidrográfica, sei que é um texto simplório, tendo em vista a importância da nossa cidade e da água em nossos dias. Espero que este texto faça você refletir um pouco sobre a sua contribuição para melhoria ou piora na condição dos nossos rios. Desculpe a pretensão, mas acredito que o fato de estar participando deste evento já é uma gota  d'água neste imenso oceano que inevitavelmente teremos que atravessar.


Luciano Nunes