sexta-feira, 12 de março de 2010

Assassinato do Cartunista Glauco.

Hoje pela manha ao acessar a internet tive a triste noticia do assassinato do cartunista Glauco e de seu filho numa tentativa de assalto. Os defensores do indefensável dirão, essa indignação e apenas por ser um artista de renome e conhecido na mídia. Ate concordo em partes que a indignação e por ser por uma pessoa notória. Apesar de saber que varias pessoas Sao assassinadas todos os dias, que varias pessoas morrem no trânsito diariamente temos ficados anestesiados e inertes perante essa situação, pois temos a péssima mania e o egocentrismo de apenas nos preocuparmos com o que nos atinge mais de perto. Faço aqui porém uma reflexão: o que esta acontecendo conosco, que nos acostumamos tão facilmente com a barbárie, com o descaso e com tudo de ruim que vemos todos os dias como se fosse como se fosse algo banal. Levamos horas no trânsito para percorrer pequenas distancias, vemos motoqueiros estucados no chão, mortos violentamente e olhamos ou viramos a cara e seguimos nossa vida. Se vemos crianças dormindo nas ruas e usando drogas nem sequer nos indignamos, apenas fechamos o vidro, e não estou apontando o dedo para ninguém, isso e corriqueiro em mim. Fácil e culpar o governo, essa massa de corruptos que esta mais preocupada com seus bolsos e como farão para tirar mais dinheiro do contribuinte. Enquanto não começarmos a pensar a vida como um todo indivisível, o mundo continuara assim, com a violência batendo a nossa porta. Não adianta ficarmos culpando o governo, insisto, a mudança terá que vir da sociedade. O governo e só um reflexo do que somos. Na verdade a indignação com a corrupção na política mascara uma certa inveja por não estarmos lá para fazer o mesmo. E esses assassinos que estão aí a solta ceifando a vida das nossas famílias Sao o ápice da nossa falta de amor ao próximo, falta de cordialidade, que em nos ditos pessoas de bem e destilado em pequenas doses de falta de educação, em fechadas no trânsito, propinas a policiais, e toda falta de respeito que cometemos todos os dias. A mudança terá que vir dos indivíduos, passando para as famílias, as empresas e escolas e assim para toda a sociedade. Enquanto imperar o individualismo, o egocentrismo e a cobiça, mais e mais pessoas serão assassinadas e não serão nada mais que noticia no jornal e números para as estatísticas.