sábado, 6 de novembro de 2010

Não Deixe Para Depois...

Mergulho com amigos em Angra dos Reis


Hoje dando uma esvaziada na minha caixa de Email, me chamou a atenção um texto que falava sobre o tempo que perdemos quando temos a impressão de que as pessoas sempre estarão a nossa disposição.
É incrível a capacidade que temos de valorizar as coisas e pessoas apenas quando as perdemos. E quando isso acontece fica complicado, pois na maioria das vezes as perdas são irreversíveis, não temos uma outra chance para reparar essa perda. Há um provérbio chinês que diz o seguinte: "Há três coisas que nunca voltam atrás, a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida". 
Em nossa vida conhecemos tantas pessoas maravilhosas, pessoas as quais desejamos estar próximos por toda a eternidade; bem, isso é o que achamos; mas o tempo vai passando, o sentimento vai se acomodando, se esfriando (quando falo de sentimento estou me referindo a todo e qualquer tipo),  aquela pessoa que nos era tão importante passa a ser alguém comum, entra para a mediocridade, e outras pessoas vão conquistando maior espaço em nossa vida, outras atividades começam a tomar maior parte do nosso tempo, e quando percebemos aquilo que nos era tão caro já não importa mais. Mas se aquela pessoa um dia foi tão importante, como pode ter caído no "limbo" do esquecimento? Aí é que está, se alguém um dia nos fez bem, nos proporcionou momentos marcantes e especiais, este alguém ficou gravado em nossa personalidade, em nossa alma, faz parte do nosso caráter, do nosso ser, essa pessoa nos ajudou a ser quem somos, ela se tornou parte da gente.
Gosto muito daquela frase que diz:  "Aqueles que passam por nósnão vão sósnão nos deixam sósDeixam um pouco de silevam um pouco de nós." (Antoine de Saint-Exupéry), se alguém um dia foi gravado em nosso ser, sempre será especial, então não espere que essa pessoa se vá para realmente dar o seu devido valor, aproveite o momento presente e diga tudo o que sente, elogie se for necessário, chame para ir ao cinema, para um café, ligue, mande mensagens, um bom dia faz uma grande diferença, saber que é lembrado pelo outro faz a pessoa se sentir bem, faz aumentar a auto-estima. 
Hoje as pessoas estão vivendo a era das relações ´Fast Food` onde tudo é muito rápido, sem criar laços, sem realmente se deixar conhecer, as vezes achamos que as pessoas são frívolas, não tem sentimentos, mas na maioria das vezes só estão tentando se proteger, por muitas vezes terem sofrido preferem não se envolverem, e então acabamos por criar um mundo de solitários, deprimidos e principalmente medrosos. 
Quando se trata de uma perda por afastamento, é dolorido, ficam as lembranças e a esperança de um dia poder ter aquela conversa, aparar as arestas, corrigir os mal entendidos, ainda há o que fazer, mas, e se for uma perda irreparável, quando você não terá a oportunidade de olhar nos olhos daquela pessoa e pedir desculpas, e até mesmo desculpar-se pelas besteiras cometidas e pelo tempo que foi perdido?
Então, não deixe para depois o que pode ser dito, feito ou vivido agora; como diz o Pe. Fabio Mello, "viva a magia da última ceia todos os dias", seja com seu amor, seja com seus familiares ou amigos, seja com você mesmo. Para todos nós haverá um dia em que não teremos as 24 horas, e quando este dia chegar, que possamos ter em nossa consciência a sensação de que cumprimos bem a nossa missão. Não deixe para depois...

Luciano Nunes Assunção